Mestres ourives

professor de design de jóias Mestres de joalheria Mestres da escola de ourivesaria Professor do curso de ourivesaria Mestres de joalheria Professor de joalheria

Mestres ourives da escola

Os professores, titulares dos cursos, são coadjuvados diariamente pelos assistentes competentes nas técnicas específicas. Os assistentes também desempenham um papel muito importante na mediação linguística quando há necessidade. Eles falam inglês, francês, espanhol, alemão, russo e japonês.

Os nossos professores e os nossos assistentes têm um denominador comum: uma grande capacidade de comunicação e de transmissão de know-how, adquirida em muitos anos de experiência profissional e de ensino. Por isso, são capazes de formar estudantes conscientes também das questões relacionadas com a realização e a produção de jóias, com problemas estéticos e formais ligados ao uso, à evolução dos estilos e às exigências do mercado e da clientela em geral. Eles ajudam os alunos nas suas escolhas, seja em função da predisposição deles para uma ou outra técnica, seja em função do andamento do mercado.

Na escola, há uma atmosfera de grande colaboração e disponibilidade.

Todos consideram esta última uma condição indispensável para o processo de aprendizagem.

 

Entrevista com professores mestres ourives

As tipologias de jóias no século XIV

As jóias eram usadas por homens, mulheres e crianças. Para o uso das crianças, eram produzidos adereços utilizando-se vidros coloridos ao invés de pedras preciosas.

Os homens da nobreza utilizavam invólucros para espadas, esporas, cintas e broches. As mulheres, broches, colares, brincos e pulseiras.

Nos últimos anos do século XIV, com a moda de acentuar o decote dos vestidos, difundiu-se o costume de usar colares com pingentes.

A jóia mais usada nesse período é o broche. Era composto quase sempre por um anel com uma agulha central e tinha como função prender os mantos.

Arte de ouro: detalhe

Piero della Francesca,
detalhe de um retrato de Federico da Montefeltro
e sua esposa Battista Sforza, 1465-66.

 

Outro produto de ourivesaria muito usado, seja por homens, seja por mulheres, eram as cintas que podiam ser decoradas e ter fivelas e tachas de prata.

Os anéis eram usados em todos os dedos, incluindo o polegar. Para o noivado e o casamento, usava-se somente um tipo de anel, que era enfiado no dedo médio da mão direita da noiva durante a cerimônia.